Notícia

DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo
Sexta, 26 Junho 2020 15:12
ENERGIA

Sedetur discute estratégias com setor energético nacional

Encontros discutem novas medidas de enfrentamento ao período de pandemia e reúnem representantes dos 26 estados e Distrito Federal

As reuniões têm a participação do secretário Rafael Brito As reuniões têm a participação do secretário Rafael Brito Ascom Sedetur
Texto de Letícia Cardoso

Durante o período de crise provocada pelo novo coronavírus, a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur) tem participado de forma constante de reuniões do Fórum Nacional dos Secretários Estaduais de Minas e Energia junto ao setor energético do país, discutindo medidas a serem adotadas ao segmento de Alagoas durante o momento vivido pela população. 

Os encontros têm sido acompanhados pela Superintendência de Energia e Mineração da Sedetur e contam com a presença de representantes dos 26 estados do Brasil e Distrito Federal, junto a órgãos como o Ministério de Minas e Energia (MME),  Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), Agência Nacional do Petróleo e Gás Natural e Combustível (ANP).

Essa iniciativa  tem como objetivo debater e planejar medidas que vão desde o uso do gás natural, jornada de trabalho até a flexibilização no pagamento junto às respectivas distribuidoras de energia em cada estado.

“É muito importante que todos os setores estejam alinhados para que, juntos, possamos passar da melhor forma por esse momento. Em Alagoas, algumas medidas que beneficiam a população foram adotadas e têm garantido o melhor funcionamento do setor que não pode parar, já que é um serviço essencial no país”, pontua Rafael Brito, secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo.

Entre as ações no estado, estão a isenção de 100% do ICMS para Consumidores da Tarifa Social e faturamento remoto de unidades com medidores internos através da consulta pelo site da distribuidora junto a Equatorial. Referente a Algás, os consumidores que tiveram redução no consumo de gás natural em 20%, puderam ser isentos de multas e juros, assim como parcelamento em até 10 vezes. Além disso, houve a suspensão do Contrato de Demanda pelos consumidores durante 120 dias.