DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E TURISMO

Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo
Quinta, 19 Março 2020 12:28
TURISMO

Prevenção: confira quais equipamentos turísticos estão fechados para visitação

Museus e igrejas históricas estão fechadas na capital e no interior; Passeios às piscinas naturais também estão suspensos.

Os passeios às piscinas naturais também estão suspensos em Alagoas Os passeios às piscinas naturais também estão suspensos em Alagoas Kaio Fragoso
Texto de Thiago Tarelli

Em cumprimento das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Governo do Estado de Alagoas para evitar a proliferação do coronavírus (COVID-19) que acomete boa parte da população mundial, alguns museus, igrejas históricas e equipamentos turísticos alagoanos estão fechados para visitação. Alguns passeios também foram impedidos de serem realizados. 

O tradicional passeio às piscinas naturais de toda a costa do Litoral Norte alagoano, que compõe a Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais, que compreende das cidades de Paripueira a Maragogi, estão suspensos. A decisão foi publicada ontem pelo o Governo Federal, por meio do Instituto de Conversação do Meio Ambiente (ICMBio), responsável pelo manejo ambiental da região. A decisão é válida por um período de sete dias. Já as piscinas naturais de Maceió seguem abertas à visitação. 

Segundo a Secretaria de Estado da Cultura (Secult), que gerencia alguns museus e prédios históricos em Maceió junto ao Diteal (Diretoria de Teatros do Estado de Alagoas), estão fechados o Museu Palácio Floriano Peixoto, Museu da Imagem e do Som de Alagoas, Memorial à República, Biblioteca Pública Estadual Graciliano ramos, Complexo Cultural Teatro Deodoro, Teatro Deodoro e Teatro de Arena.

Sob a gerência da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), o Museu Theo Brandão, em Maceió, também está fechado. Nas cidades históricas de Penedo, na região dos Caminhos do São Francisco, a visitação a museus e igrejas históricas acontecem normalmente. Já em Marechal Deodoro, o Museu de Arte Sacra está fechado por quinze dias, e a Casa de Marechal segue com visitação aberta ao público. Os passeios de barco pelo Praia do Francês e Lagoa Manguaba também estão suspensos por dez dias. 

Em Piranhas, no alto Sertão alagoano, a visita está suspensa a todos equipamentos turísticos por tempo indeterminado. Na região dos Quilombos, a visitação ao Parque Memorial Quilombos dos Palmares segue normalmente. Já a cidade de Viçosa, suspendeu os passeios a cachoeira do Anel, por tempo indeterminado.

Para o secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo, Rafael Brito, o mundo e, por consequência Alagoas, vive uma situação atípica que certamente trará prejuízos ao turismo, porém é preciso ter cautela para reduzir os danos ao máximo. 

“Infelizmente a pandemia do coronavírus afeta o turismo em Alagoas, fazendo com que alguns equipamentos e passeios deixem de funcionar. Porém, até o momento, medidas como bloqueio de estradas e praias não foram cogitadas. O que estamos fazendo é buscar conscientizar as pessoas da importância de não cancelar a viagem, apenas remarcar para um nova oportunidade, para que o turista não perca o investimento e o turismo sofra o mínimo possível com essa situação. Além disso, é importante focar nos pequenos negócios, utilizando no dia a dia os serviços de Delivery e trocando as grandes redes por empreendimentos menores, que são os primeiros a sentir as consequências em um momento como esse. Esperamos que em breve tudo esteja normalizado e a cadeia turística volte a crescer e siga gerando emprego, renda e oportunidade para todos os alagoanos”, frisou Rafael Brito.